Do contrato Social Discurso sobre a origem da desigualdade entre os homens Jean Jacques Rousseau R$50,00

_MG_3485.JPG

Esta obra publicada em 1755, há mais de dois séculos, instiga e provoca uma reflexão sobre o tema, ainda atual, da desigualdade entre os homens. Rousseau, filósofo genebrino, mostra como aconteceu o desenvolvimento do homem desde seu estado de natureza até a vida em sociedade. Dividida em duas partes, na primeira o autor descreve o homem e o ambiente em que vive no estado natural. Na segunda, mostra que a sociedade civil teve início com o homem que afirmou – ‘Isto é meu’. Para ele, o homem selvagem anseia apenas o repouso e a liberdade, já o outro, sempre ativo, agita-se, trabalha até a morte, faz a corte aos ricos e se envaidece de sua escravidão pela vida. Nesta obra, o autor traz à tona esse duplo problema arraigado na sociedade desde os tempos antigos. Assim, remonta aos primórdios do gênero humano e reconstrói a história do homem e de sua corrupção, partindo do desvendamento de sua condição primitiva para chegar à constituição das sociedades civis.

Do contrato Social Discurso sobre a origem da desigualdade entre os homens Jean Jacques Rousseau Portugalia 1968 bom estado.Dedicatória.Pontos de oxidação no corte e folha de rosto.Qualquer dúvida, pergunte a vontade. Sociologia usado

FRETE POR CONTA DO COMPRADOR.

CONSULTE O VALOR DO FRETE ENVIANDO UMA PERGUNTA COM O SEU CEP  AQUI NO ANUNCIO OU VIA E-MAIL: frankvende@gmail.com

Do contrato Social Discurso sobre a origem da desigualdade entre os homens Jean Jacques Rousseau R$50,00

R$50,00

Submundos do sexo no iluminismo Rousseau; Potter R$35,00

_MG_2687

As atitudes e atividades sexuais durante o Iluminismo não eram uma coisa simples, unidimensional, tudo branco ou preto, bom ou mau. Os ensaios reunidos neste livro alertam que imagens femininas alimentadas pelos homens da época podem não corresponder ao que as mulheres realmente vivenciavam. Além das expriências libertinas de Casanova e Boswell, vêm à tona temas como o do ‘travesti’, mulheres setecentistas que se faziam ‘passar por homens’, a questão da imaginação, usada para explicar anomalias sexuais como o hermafroditismo e os bailes de máscaras, um mundo sexual de cabeça-para-baixo, onde tudo o que fosse heterossexualmente erótico poderia acontecer, desde que não se lhe desse o devido nome.

Submundos do sexo no iluminismo

Rousseau; Potter

Rocco 1999

COMPRAR