Marx Ahora 29 Editorial de Ciencias Sociales R$15,00

 

20190128_184959.jpg

Marx Ahora 29 Editorial de Ciencias Sociales Editorial de Ciencias Sociales 2010 muito bom estado.Pontos amarelados no corte.Qualquer dúvida, pergunte a vontade. Ciência Política usado

FRETE POR CONTA DO COMPRADOR.
CONSULTE O VALOR DO FRETE ENVIANDO UMA PERGUNTA COM O SEU CEP AQUI NO ANUNCIO OU VIA E-MAIL: frankvende@gmail.com

Marx Ahora 29 Editorial de Ciencias Sociales R$15,00

R$15,00

A cidade perdida R$25,00

IMG_0994.JPG

Havana, Cuba, 1958. A cidade é considerada a capital dos prazeres e diversões para muitos, enquanto que algumas pessoas estão descontentes com a ditadura de Fulgencio Batista (Juan Fernández). Fico Fellove (Andy Garcia) é o proprietário da elegante casa noturna El Trópico e tenta manter sua família unida, em meio à tomada da cidade pelas forças revolucionárias de Fidel Castro (Gonzalo Menendez) e Ernesto Che Guevara (Jsu Garcia). Alheio à situação do país está o escritor (Bill Murray), um expatriado americano que acompanha a situação de Fico e sua família em meio a tantas mudanças.

A cidade perdida Aventura Muito bom estado. usado

FRETE POR CONTA DO COMPRADOR.
CONSULTE O VALOR DO FRETE ENVIANDO UMA PERGUNTA COM O SEU CEP AQUI NO ANUNCIO OU VIA E-MAIL: frankvende@gmail.com

A cidade perdida R$25,00

R$25,00

O homem que inventou Fidel Anthony DePalma R$30,00

20180724_115248.jpg

No começo de 1957, Cuba estava sob rígida censura e a ditadura de Fulgencio Batista afirmava que Fidel morrera, liderando os 82 revolucionários que participaram da desastrada invasão do leste da ilha. COube a Herbert Matthews, editorialista do New York Times, veterano e respeitado correspondente de muitas guerras, romper a censura e, com uma entrevista bombástica, revelar aos públicos norte-americano e cubano que Fidel estava vivo e organizava uma guerrilha na Sierra Maestra. MAis do que isso, Matthews escreveu que Fidel era “um homem de ideais, de coragem e de notáveis qualidades de liderança”, e concluiu que seu movimento era “radical, democrático e, portanto, anticomunista”. Os artigos publicados no Times conquistaram o apoio da opinião pública americana para Fidel, o que teria pressionado o governo de Dwight Eisenhower a suspender a ajuda militar a Batista e, em última análise, causado sua queda. E Quando Fidel se revelou cada vez mais esquerdista e, finalmente, marxista-leninista, Matthews, mesmo acusado de ter “inventado” Fidel, nunca deixou de julgar equivocada a política externa americana em relação a Cuba, como também continuou obstinadamente afirmando que o líder cubano não era comunista antes de chegar ao poder. E Assim arruinou sua reputação de 45 anos de jornalismo, perdeu a credibilidade dentro do próprio Times, tornou-se um bode expiatório e foi taxado de inocente útil e até de traidor da pátria. Ao narrar a história sombria desse jornalista corajoso, Anthony DePalma traça o panorama de uma época que vai do romantismo da Guerra Civil Espanhola, na qual Matthews cobriu o lado dos republicanos, à paranóia dos tempos da Guerra Fria, em que ele foi investigado por comissões macartistas do Senado, vigiado pelo FBI e ameaçado de morte por exilados cubanos. E Esses fatos históricos servem para propor questões fundamentais sobre o poder da imprensa, suas relações complexas com a política, sobre os limites da objetividade jornalística.

O homem que inventou Fidel Anthony DePalma Cia das letras 2006 excelente estado.Qualquer dúvida, pergunte a vontade. Biografias usado

FRETE POR CONTA DO COMPRADOR.

CONSULTE O VALOR DO FRETE ENVIANDO UMA PERGUNTA COM O SEU CEP  AQUI NO ANUNCIO OU VIA E-MAIL: frankvende@gmail.com

O homem que inventou Fidel Anthony DePalma R$30,00

R$30,00

Nasci para bailar João Donato Havana Rio Documentário R$250,00

20180823_155257.jpg

Documentário musical sobre o encontro de duas culturas: Brasil e Cuba. Uma viagem musical de João Donato e Trio – Robertinho Silva, Luiz Alves, Ricardo Pontes – a Havana, para o 24o. Festival Internacional Jazz Plazza, em 2008. Materializa um raro diálogo, fluente e criativo, com renomados músicos cubanos, através da Universidade de João Donato, ritmos caribenhos e jazz.

Nasci para bailar João Donato Havana Rio Documentários Excelente estado. Contém encarte. usado

FRETE POR CONTA DO COMPRADOR.

CONSULTE O VALOR DO FRETE ENVIANDO UMA PERGUNTA COM O SEU CEP  AQUI NO ANUNCIO OU VIA E-MAIL: frankvende@gmail.com

Nasci para bailar João Donato Havana Rio Documentário R$250,00

R$250,00

Buena Vista Social Club R$20,00

_MG_4319

Buena Vista Social Club is an ensemble of Cuban musicians established in 1996 to revive the music of pre-revolutionary Cuba. The project was organized by World Circuit executive Nick Gold, produced by American guitarist Ry Cooder and directed by Juan de Marcos González. They named the group after the homonymous members’ club in the Buenavista quarter of Havana, a popular music venue in the 1940s. To showcase the popular styles of the time, such as son, bolero and danzón, they recruited a dozen veteran musicians, many of whom had been retired for years.

The group’s eponymous album was recorded in March 1996 and released in September 1997, quickly becoming an international success, which prompted the ensemble to perform with a full line-up in Amsterdam and New Yorkin 1998. German director Wim Wenders captured the performance on film for a documentary—also called Buena Vista Social Club—that included interviews with the musicians conducted in Havana. Wenders’ film was released in June 1999 to critical acclaim, receiving an Academy Award nomination for Best Documentary feature and winning numerous accolades including Best Documentary at the European Film Awards.

The success of both the album and film sparked a revival of interest in traditional Cuban music and Latin American music in general. Some of the Cuban performers later released well-received solo albums and recorded collaborations with stars from different musical genres. The “Buena Vista Social Club” name became an umbrella term to describe these performances and releases, and has been likened to a brand label that encapsulates Cuba’s “musical golden age” between the 1930s and 1950s. The new success was fleeting for the most recognizable artists in the ensemble: Compay Segundo, Rubén González, and Ibrahim Ferrer, who died at the ages of ninety-five, eighty-four, and seventy-eight respectively; Compay Segundo and González in 2003, then Ferrer in 2005.

Several surviving members of the Buena Vista Social Club, such as trumpeter Manuel “Guajiro” Mirabal, laúd player Barbarito Torres and trombonist and conductor Jesús “Aguaje” Ramos currently tour worldwide, to popular acclaim, with new members such as the singer Carlos Calunga, pianist Rolando Luna and veteran singer Omara Portuondo, as part of a 13-member band called Orquesta Buena Vista Social Club.

Buena Vista Social Club Buena Vista Social Club Latin Excelente estado. Funcionando perfeitamente. Qualquer dúvida, pergunte a vontade. Usado

FRETE POR CONTA DO COMPRADOR.

CONSULTE O VALOR DO FRETE ENVIANDO UMA PERGUNTA COM O SEU CEP  AQUI NO ANUNCIO OU VIA E-MAIL: frankvende@gmail.com

Buena Vista Social Club R$20,00

R$20,00