A cabeça bem-feita Edgar Morin R$25,00

_MG_3021

Reformar o pensamento para reformar o ensino e reformar o ensino para reformar o pensamento é o que preconiza Edgar Morin. Na linha da reforma do pensamento, ele propõe os princípios que permitiriam seguir a indicação de Pascal. Esses princípios levam o pensamento para além de um conhecimento fragmentado que, por tornar invisíveis as interações entre um todo e suas partes, anula o complexo e oculta os problemas essenciais; levam, igualmente, para além de um conhecimento que, por ver apenas globalidades, perde o contato com o particular, o singular e o concreto. Eles permitem remediar a funesta desunião entre o pensamento científico – que desassocia os conhecimentos e não reflete sobre o destino humano – e o pensamento humanista, que ignora as conquistas das ciências, enquanto alimenta suas interrogações sobre o mundo e sobre a vida.
A cabeça bem-feita Edgar Morin bertrand brasil 2000 excelente estado.Qualquer dúvida, pergunte a vontade. Pedagogia usado

FRETE POR CONTA DO COMPRADOR.

CONSULTE O VALOR DO FRETE ENVIANDO UMA PERGUNTA COM O SEU CEP  AQUI NO ANUNCIO OU VIA E-MAIL: frankvende@gmail.com

A cabeça bem-feita Edgar Morin R$25,00

R$25.00

Violência Escolar: verso e reverso das sociabilidades contemporâneas Adriana Dias de Oliveira R$35,00

IMG_0896

A violência escolar não é um fenômeno novo. Desde o século XIX há relatos deste acontecimento. No entanto, a sua ocorrência na contemporaneidade toma contornos específicos que nos remetem ao questionamento de como se apresenta o encontro e o desencontro entre professores e alunos na sala de aula.
Considerando a violência escolar na sua ambiguidade, isto é, constitutiva do ato educativo, por meio das limitações que a vivência coletiva impõem, mas também as formas destrutivas que esta pode adquirir, podemos considerar que esta pode ser praticada tanto por professores quanto por alunos.
Mas a violência escolar apresenta múltiplas faces. Depredações do patrimônio, tráfico de drogas, roubos, descaso do poder público podem ser algumas das formas de sua revelação. Neste livro, procuramos enfatizar as incivilidades enquanto manifestações ‘invisíveis’, ‘miúdas’ ou ‘ocultas’ da violência escolar. Trata-se de questões do cotidiano da escola, as relações entre professores e alunos, os conflitos entre a escola e a família e da instituição escolar com a sociedade na qual está inserida, ocasiões estas que acabam por corroer a relação de confiança que todo processo educativo exige.
Além da ênfase pouco comum nas incivilidades escolares que o presente livro aborda, há nele o diálogo entre autores de diversas áreas do conhecimento como Sociologia, História e Filosofia, permitindo uma nova leitura, interdisciplinar, sobre o fenômeno da violência escolar.
Desta forma, embora voltado para a interlocução com professores e alunos, “Violência escolar: verso e reverso das sociabilidades contemporâneas” não se restringe a estes, podendo ser lido por todos aqueles interessados em compreender melhor a complexidade da realidade escolar brasileira contemporânea, com o rigor conceitual e consistência teórica que o trabalho acadêmico exige, mas com a linguagem fluente que o texto apresenta.

Violência Escolar: verso e reverso das sociabilidades contemporâneas

Adriana Dias de Oliveira

CRV 2016

FRETE POR CONTA DO COMPRADOR.

CONSULTE O VALOR DO FRETE ENVIANDO UMA PERGUNTA COM O SEU CEP  AQUI NO ANUNCIO OU VIA E-MAIL: frankvende@gmail.com

COMPRAR